• standard blog post with image

    Como funciona uma estação de tratamento de água

    Para tornar águas de rios ou de poços subterrâneos potáveis, ou seja, adequadas para o consumo de acordo com as normas vigentes brasileiras, é fundamental a instalação de uma estação de tratamento de água, também conhecida como ETA.

    As ETAs (Estações de Tratamento de Água) da Fast têm como características serem compactas, de fácil operação e baixo consumo de produtos químicos. 

    O tratamento da água bruta, seja superficial ou subterrânea, ocorre através dos seguintes processos: coagulação, floculação, clarificação, filtração e desinfecção.

    A coagulação e a floculação ocorrem através da adição de produtos químicos específicos, podendo ser sais inorgânicos (sulfato de alumínio, por exemplo) ou orgânicos.

    O processo de clarificação, onde a maior parte dos contaminantes são separados da água limpa, pode ser realizado por dois métodos de separação: flotação e decantação.

    Tanto a decantação como a flotação são processos muito compactos e altamente eficientes na remoção de sólidos em suspensão e precipitados (coloides/partículas) e apresentam redução elevada nos demais parâmetros (cor, odor, sabor, entre outros).

    Após a clarificação, a água tratada é enviada para o processo de filtração, para o polimento, e para a desinfecção, garantindo os padrões de potabilidade da água. 

     

    Com mais de 20 anos de atuação no mercado nacional e internacional, a Fast oferece diferenciais que vêm agradando seus consumidores e tornando o serviço um case de sucesso para diversos clientes. Além disso, as ETAs fornecidas pela Fast podem ser totalmente automatizadas. O CLP do equipamento gerencia os seguintes parâmetros do sistema:

     

    • Bomba de alimentação;
    • Nível do tanque de químicos;
    • Processo automático de adição de químicos;
    • Sistema de monitoramento de pH;
    • Diagnóstico que acusa eventuais falhas no CLP.